MUSICOTERAPIA

O que é a Musicoterapia?

A Federação Mundial de Musicoterapia define esta terapia complementar como sendo a utilização da música e/ou dos seus elementos - som, melodia, ritmo e harmonia - por um Musicoterapeuta qualificado (com formação específica), num processo estruturado e continuado, com o objectivo de promover a comunicação, o relacionamento, a aprendizagem, a mobilização, a expressão e a organização de processos psíquicos de uma criança, de modo a que haja uma recuperação das suas funções e um desenvolvimento do seu potencial.

A música surge neste processo terapêutico como mediador central para o levantamento de dados e mudança do utente. É, portanto, o veículo para nos concentrarmos no “problema” e trabalhá-lo e não tem o objectivo de entretenimento. Devido ao carácter lúdico da terapia e à possibilidade de expressão não-verbal, a criança sente motivação para participar activamente com o terapeuta.

Assim, a Musicoterapia intervém nos seguintes domínios de funcionamento patológico/problemáticas:

- Processos Cognitivos – orientação e consciência, atenção, perceção, concentração, memória, linguagem (articulação, linguagem recetiva, linguagem expressiva), produção intelectual (pensamento, inteligência e raciocínio, processamento de vivências), aprendizagem;
- Motricidade – tónus muscular, motricidade fina e grossa, coordenação motora, movimento e propriocepção;
- Vivências afetivas – estados de humor, conteúdos afetivos, gestão de emoções e afetos, ansiedade e stress, expressão;
- Comportamento – estabilidade, gestão dos impulsos, organização de ação, espontaneidade vs. rigidez, normas culturais e regras sociais, disciplina/compulsão;
- Dinâmicas Intrapsíquicas – mecanismos de defesa ou estratégias de “coping”, integração afeto-intelectual, “maturidade”, aprendizagem (intelectual, afetiva e interpessoal), consciência de si;
- Adaptação Social – integração, identidade, participação social;
- Relacionamento Interpessoal – laços e vinculação, comunicação, empatia, assertividade, fronteiras interpessoais, estabilidade de padrões de relacionamento, (inter) dependência.

A Musicoterapia apresenta benefícios comprovados na intervenção com crianças com perturbações do desenvolvimento (dificuldades motoras, cognitivas e sociais), bem como com perturbações emocionais e comportamentais.

Na área da Pediatria do Desenvolvimento, esta terapia complementar tem apresentado bons resultados com crianças com Trissomia 21, Perturbações do Espectro do Autismo, Paralisia Cerebral, Deficiência Auditiva ou Visual, Atraso no Desenvolvimento da Linguagem, entre outras.


 

 

MARQUE CONSULTA

Dra. Marisa Raposo